Mariano Balcarce

Nome verdadeiro: Bergamino, Mariano
Cantor
(1910 - 1951)
Local de nascimento:
Buenos Aires Argentina
Por
Néstor Pinsón

ua mãe, Élida Silva, era professora de música e seu pai o conhecido violonista e compositor Juan Bergamino, autor do tango “Joaquina”, dedicado a Joaquina Marán, uma pessoa singular por seu atrevimento naquela época.

Começou desde muito jovem com o canto e se destacou por suas condições, tanto que chamou a atenção de Pedro Maffia quem, nos começos de 1934, disconforme com seus músicos, criou uma nova orquestra que estreou no mês de maio.

Faziam parte dela: Pedro Maffia (bandonionista e diretor), Ángel Maffia, Carlos Demaría e Héctor Presas (bandônios), Nerón Ferrazzano (cello), Alberto Besprovan e Unamuno (violinos), Juan Trombino (piano) e Mariano Balcarce (cantor). Nesse mesmo mês de maio, Balcarce gravou o tango “No aflojés” e para o outro lado do disco, um ritmo folclórico “De tu casa a mi casa”.

No ano seguinte fez parte do conjunto de Augusto Berto e, a seguir, entrou na Orquestra Típica Victor. Com ela gravou “Déjame vivir”, em 7 de setembro de 1937, e “Milonga de los fortines”, em 28 de setembro de 1937. Na mesma data, a valsa “Siempre tuya seré”, placa da qual não existe a certeza de ter sido editada.

Para terminar este breve relato, descobrimos no jornal El Diario, da província de Entre Ríos, de 13 de fevereiro de 2016, uma entrevista à senhora Juana María Gaggino (que em maio de 2015 completou 103 anos), na qual relembrou momentos da sua longa vida, entre eles, que se casou com um portenho, cantor de tangos, chamado Mariano Balcarce. Também comentou que foi o primeiro cantor que teve a emissora LT14, inaugurada em 1945. Que morreu em 1951, muito jovem, com apenas 41 anos. Manifestou que quando faleceu, o filho de ambos tinha apenas um ano e meio. O garoto também foi cantor de tangos e fez apresentações radiais.