Pascual Cardaropoli

Nome verdadeiro: Cardaropoli, Pasquale
Pianista y compositor
(7 julho 1881 - n/d)
Local de nascimento:
San Giorgio (Sicilia) Italia
Por
Ricardo García Blaya

ste singular músico, nascido em San Giorgio (Sicília, Itália), foi um fiel expoente da Guardia Vieja (Velha Guarda).

Seu nome se popularizou com seu tango “La sonámbula”, um clássico daqueles anos que temos a sorte de poder apreciar, já que foi gravado por Juan Maglio (Pacho), sendo o primeiro solo de bandônio a ser registrado.

Mas “La sonámbula” não foi seu único tango popular, teve outro que se titulou “Ojo clínico”, composto em agradecimento a seu oculista o doutor Rodríguez Barrios.

É escassa a informação que existe sobre este pianista, alguns poucos dados e sem uma ordem cronológica. Assim, sabemos das suas apresentações no chamado Bar Central, situado na Avenida de Mayo e Tacuarí, onde teria acontecido a estreia de seu tango mais famoso.

Se apresentou também, na Confeitaria Italiana, junto com Raimundo Petillo (violino) e Pedro Polito (bandônio).

Fundou seu próprio conjunto para se apresentar no Cabaré Maxim’s, da rua Suipacha.

Teve também atividade em Montevidéu, lá formou um trio que se apresentava no Cabaré Pigall, com Genaro Nerón Domínguez (bandônio) e Federico Lafemina (violino). Mais tarde, Juan Canaro substituiu Domínguez.

Cardarópoli, foi o verdadeiro iniciador e professor de Juan Canaro, a quem ensinou solfejo, teoria e leitura musical.

Fez parte, também em Montevidé, da Típica Minotto que era um quinteto com Pascual Cardarópoli (piano), Juan José Castellanos, Juan Tróccoli (violinos) e Antonio Miranda (bateria). Também participaram desse conjunto Marcos Olmedo, Ernesto Maurnini e Miguel A. Ossi.

Tocou com várias figuras importantes do tango: Pedro Maffia, Manuel Pizarro, Roberto Firpo e, junto com Rafael Tuegols, fez parte da orquestra de Eduardo Arolas no cabaré Armenonville. Nesse lugar também tocou, sem licença do seu pai, o adolescente Julio De Caro.

Por último, o violonista e pianista Domingo Greco compôs o tango “De raza”, que dedicou a Domingo Petillo e Pascual Cardaropoli.