Carlos Aguilera

Nome verdadeiro: Aguilera, Pedro Timoteo
Cantor
(20 janeiro 1951 - )
Local de nascimento:
Pergamino (Buenos Aires) Argentina
Por
Todotango.com

roveniente de uma família de cantores e artistas de circo iniciou sua carreira numa idade precoce. Aos treze anos fez sua estréia em festivais e concursos de calouros em sua cidade natal, Pergamino (província de Buenos Aires).

Continuou participando de diversos espetáculos na zona e, já com dez e seis anos, viajou à capital onde começou a contatar-se com outros cantores e figuras proeminentes da noite portenha, no fim da década de 1960.

Assim foi o início da sua carreira profissional cantando em cantinas e reuniões. Viajou a Mar del Plata, em 1969, onde completou dezoito anos interpretando obras famosas do cancioneiro popular, sob o olhar de figuras reconhecidas como o violonista Roberto Cambaré, Nito Mores, o poeta campeiro José Adolfo Gallardou, entre outros.

Viajou a Chile, Peru e Uruguai cantando boleros integrando o elenco do Teatro de Revista (teatro de arte situado na rua Rodríguez Peña entre Perón e Corrientes), junto a figuras como Perla Rosales e Fausto Padín. Quando voltou fez cinema como extra em filmes e participou de várias fotonovelas.

Com vinte e dois anos viajou ao Brasil e, em 1978 se consagrou revelação do Festival de Baradero na categoria tango. Depois, outra turnê pelo Brasil, mais prolongada, fazendo parte do show musical Mi Buenos Aires Querido.

Cantou nos palcos de Malena e Vostango, compartilhando cartaz com Jorge Valdez, Alberto Morán, Carlos Reyes, Daniel Cortés e Rubén Juárez.

Em 2014 foi reconhecido junto a outras figuras com o Prêmio Zorzal. É autor da “Zamba de entonces”, com música de Milton Alves. Gravou no Brasil com o trio Siglo XX, o CD Sur, uma produção independente.