Por
Luis Alposta

Sobre os safados Bailes do Internato em Paris

história desses bailes começa a gestar-se em 13 de setembro de 1802, quando Napoleón cria o Internato nos hospitais de Paris.

Recém no quarto ano os estudantes de medicina franceses (na época as mulheres não eram aceitas) passavam a ser internos, depois de aprovar uma prova escrita e, posteriormente, um exame oral, que prestavam anualmente durante o verão. Uma vez feito o escrito, e antes de prestar o exame oral, era quando acontecia Le Bal de L'Internat.

Esses foram festejados no Bal Bullier durante todo um século e era tradicional que cada hospital organizasse seu desfile, incluindo safadas representações, nas quais a aprecia a sexualidade subjacente à festa, ao prazer e ao permissível ou o proibido, pode-se ver claramente nos cartazes e nos convites que se enviavam.

A vida no Internato girava em torno à formação dos internos e à prática de atividades lúdicas, sendo o Baile do Internato a principal. Cada ano, os próprios estudantes de medicina ou seus amigos artistas, confeccionavam dois tipos de convites: para mulheres e para homens, com textos e conteúdos icônicos diferentes. Se observamos com cuidado podemos perceber o quanto as mulheres eram consideradas como objetos sexuais.



Colaboravam nos preparativos os próprios estudantes, a quem de forma muito especial, prestavam sua ajuda «as amigas», que não vacilavam em dar seu «ombro» segundo as necessidades da comemoração, na qual a festa e champanha sempre estavam presentes.